quinta-feira, 20 de abril de 2017

Desocupação do terreno da habitação

Esta semana tivemos a ocupação de um dos terrenos destinados a construção das unidades habitacionais da Comunidade Maria Lúcia. Tal programa habitacional faz parte das instalações do Parque Linear Água Podre.

A ocupação, se consolidada, poria em risco a edificação dos condomínios. Importante que as famílias que foram removidas, sejam atendidas pelos programas assistenciais e habitacionais, se necessário.

Após a presença das equipes de desfazimento da Prefeitura, houve uma manifestação da pessoas que foram desalojadas, logo veio a PM e liberou a rua Laudelino de Abreu para o trânsito. 

Mais importante que promover a liberação do terreno é mantê-lo sem novas ocupações e, acima de tudo, promover a edificação do projeto executivo dos condomínios que já foi desenvolvido. É isto que desejamos, que SEHAB ocupe os terrenos com seus condomínios e atenda ao combinado com os Cidadãos!

Abaixo algumas imagens mostrando momentos do dia 18/04/2017








Um comentário:

  1. Esse povo que está tentando invadir o terreno é conhecido na região e a maioria deles estão agindo de má fé, pois muitos já possuem suas moradias e queriam aproveitar o abandono do terreno para tirar vantagem da situação.
    Invasão em SP já virou negócio para muitos, mas claro que tem pessoas bem pobrezinhas que realmente precisam de ajuda e esses precisam ser inseridos em programas sociais que ofereçam moradia popular.
    O grupo estava começando a crescer pois já estava vindo pessoas de outras regiões para juntar-se à invasão, o que ficaria mais delicado de controlar essa desordem.
    Conheço algumas famílias da comunidade que será beneficiada com esse projeto de moradia, e realmente são carentes, não seria justo perderem seus direitos ou serem prejudicadas por causa dessas pessoas.
    Espero que a SEHAB tome conhecimento do ocorrido e execute as obras o mais breve possível pois a comunidade está aguardando ansiosamente sua tão sonhada casinha.

    ResponderExcluir